terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

LARA CAMPOS "O MESTRE DA DIVISÃO 3"

EM QUALQUER ESPORTE, TEM DE ESTAR DE MÃOS DADAS COM A SORTE




Amigos, o que vão ler aqui, são relatos verídicos de competição e tenham certeza que as disputas que ocorreram, sempre foram limpas.....









Final Campeonato 1980, foi o melhor ano da Divisão 3, recorde de publico em todos autodromos
















Clique para ler




























Amadeo Campos, Lara, Vicente Correa






































Classificação do campeonato para disputar a ultima prova de 1980:


Ricardo Mogames.......77 pontos 2 vitorias
Arturo Fernandes.......68 pontos 2 vitorias
Lara Campos Jr..........64 pontos 2 vitorias
Amadeo Campos........55 pontos 1 vitoria

Ultima corrida de 1980, Lara e Mogames não tínhamos marcado pontos na etapa anterior, vencida pelo José Bruno, para embolar ainda mais o campeonato 1980, o campeonato para mim estava difícil, a não ser que estivesse de mãos dadas com a sorte, pois precisaria de uma má atuação do Mogames e Arturo, coisa difícil mas.... possível, havia sido aprovado já valendo para aquela prova o câmbio de 5 marchas para o ano de 1981, o meu pronto e testado, só estava guardado, era 1 a 2 segundos mais rápido que o de 4 marchas.

Para quem não entende nada de mecânica tentarei explicar a diferença,
(o de 4 marchas tem suas engrenagens modificada para competição, mantendo os padrões originais de fabrica ou seja ela tem seus dentes enviesado, com cincronizadores facilitando o engate de marchas em qualquer situação, usava as 4 marchas no circuito, já os de 5 marchas, são importados da Inglaterra, exclusivos para competição, tendo seus dentes retos e sem cincronizadores, dificultando seu engate em caso de erro de marcha).

Nos treinos de 5 e 6 já com o novo cambio e usando as 5 marchas no circuito mas sem mostrar a ninguém, pois saia de 2 marcha do box , estando meu carro muito rápido. Surgiu primeira esperança de ser campeão de 1980, quando o Mogames e o Arturo não apareciam entre os 6 primeiros em nenhum momento, nem acreditava no que estava acontecendo.

Sábado, classificação para definir o grid de largada, meu carro estava bom, mas o tempo não vinha, ventava muito, estando com o 3 tempo virando na casa dos 3m 27s 65c, um tempo ruim, pois nos treinos virava em torno de 3m25s, mas ninguém estava com boa marca, o passat do Yoshikuma era o mais rápido, com 3m 27s, 21c, a seguir o João Franco (passat), Lara (VW), Vicente Correa (passat), Waldir Silva (passat), Arturo (VW), Bruno(VW), Mogames(VW), Amadeo(VW).......

Saindo novamente, faltava uns 15 minutos para encerrar a classificação, estava bem animado com o resultado do Arturo e Mogames, com um jogo de pneus novos e com um coringa guardado que seria usar minha 1 marcha na saida da curva do S e curva do bico de pato, mas tinha receio pois a rotação de meu motor chegava a 8.700 rpm na saida destas curvas, mas precisando da vitória no domingo dei a 1 volta aquecendo, vindo em minha 2 volta para marcar o tempo de 3m 26s 55c já era o melhor tempo do dia e em minha 3 volta marquei em 3m 26s 05c, era a pole, pois ninguém consegui abaixar seus tempos, ai fiquei animado, saindo em 2 o Yoshikuma com 3m 27s 21c, o Arturo era 4 colocado com 3m 28s 90c, o Amadeo em 6 com 3m 30s 11c, em 7 o Mogames com 3m 31s 03c.

Obs. aproximadamente cada 1 segundo em Interlagos é uma diferença de quase 100 metros por volta, sendo que o tempo percorrido de 7.873 metros em 3 minutos25 segundos, dava uma media horaria de 140km/h.



Anesio Hernandes
(essa foto é recente)
Vale lembrar, que esse motor VW 1600 era preparado pelo Anesio Hernandes, era um motor diferente dos outros com 5 HP a mais e seria usado no super-V do Antonio Castro Prado na temporada de 1981, pensando comigo mesmo, esse motor tinha 157 HP, mas não tinha visto esse motor ainda no teste de dinamometro instalado na fazenda do Prado em Valinhos-SP dar essa potencia. ( pro leigo, dinamometro e medidor de potencia ou HP)


Toda retífica e usinagem de meus motores era feita na Retifica Salecar dos grandes amigos Marcos e Arno Levorin.

Se terminasse pela ordem de classificação a corrida, eu era o campeão com 84 pontos, Mogames 81, Arturo 78, rsrs sonho né.

No domingo, o tempo amanheceu bom e ficou nublado, fiquei preocupado pois na pista molhada meu carro ficou ruim, depois que foi mudado o regulamento da categoria em agosto de 1980 (coisas de Yoshikuma, cartola da categoria na época), proibindo o uso de molas no amortecedor, essa proibição pegou em cheio minha suspensão traseira idependente, já que era o único que usava molas no amostercerdor para ajudar as torções traseiras, com isso, tinha a opção em pista molhada de amolecer a suspenção traseira tirando só as molas. Para compensar a retirada das molas, fui obrigado a usar torção mais dura, ficando sem opção de uma rápida regulagem do carro para pista molhada.

Usando o cambio de 5 marchas, escondido de todos e saindo na pole, pneus novos, novo motor com menos potência que o de classificação mas tinha 152 HP a 8.300 rpm, era motor que vinha usando no campeonato, sabia que iria pular na frente na largada, por isso essa largada sensacional na foto abaixo, estando meu carro perfeito, meu motor um verdadeiro canhão, ganhei essa bateria com facilidade abrindo 15 segundos para o 2 colocado, garantindo uma boa vantagem em caso de chuva na 2 bateria, em 4 o Arturo, 6 o Amadeo, em 7 o Mogames.


Largada, eu com o cambio de 5 marchas na foto abaixo,rsrsrs



Todos em seus box aguardando a 2 largada, quando cai uma chuva daquelas de verão aquela pancada, a largada foi adiada por 1 hora, estava nervoso, meu carro já com pneu de chuva, saímos para alinhar com uma chuva leve, notei que o carro não parava no chão, mas com sorte talves ganharia, pois tinha uma grande vantagem para o Arturo e Mogames, não adiantou, na 2 volta fui ultrapassado pelo Amadeo Campos e o Arturo, o Mogames não me lembro, mas ele estava bem ruim, mas na curva da junção vejo o Arturo na contra mão, ele tinha rodado, passei por ele, mas para ser campeão em qualquer modalidade de competição, tem de ter sorte, isso sem duvida o "Espanhol" tem como era chamado, pois rodar na junção e não bater no muro, que sorte, ele me ultrapassou novamente descontou a diferença e foi cruzar a bandeirada para ser novamente Campeão.



















Classificação do Campeonato para disputar ultima prova de 1978:

Lara Campos Jr......... 62 pontos
Arturo Fernandes......55 pontos
Amadeo Campos.......43 pontos


Tendo uma vantagem de 7 pontos para o Arturo, vantagem considerada boa para uma final de campeonato, tratei de economizar meu carro desde os treinos até a prova de classificação para o grid de largada, apesar de nunca usar o mesmo motor de classificação para a corrida, mas meu carro estava perfeito, era mais rápido que o Arturo em todos os dias, já que minha corrida era particular contra ele, uma vez que o Amadeu estava fora desta disputa.

Tinha carro para brigar pela pole se necessário, nossa nova suspensão traseira (barra de torção) tinha dado certo, escondi potencial todos os dias, estando o Afonso Giaffone estreando seu carro novo, passat 1.600cc, com seu motor preparado na Argentina pelo respeitado Oreste Berta, falavam em potencia perto dos 180 HP, mas seu carro como todo passat perdia muito tempo para os VW 1.600 nas curvas, outro novo carro estreando, era o Chevette de fabrica do Edgar de Mello Filho, outro piloto bota em qualquer carro que guiasse, pois vinha de uma vitória em Tarumã - Porto Alegre. A D3 estava ficando bem picante para o campeonato 1979, mas neste dia, minha disputa era direta com o Arturo Fernandes.

Dada a largada, contornamos a curva 1 e 2 com Edgar, Amadeo, Arturo, Lara, Giaffone, já no retão passei pelo Arturo, contornamos a curva 3 já proximo do Amadeo, me lembro, meu carro estava perfeito passei pelo Amadeo na reta oposta, fui encostando no Edgar até a curva do sargento, quando na freada fiz a ultrapassagem, passei a 1 volta liderando ja com uma pequena vantagem, mas sabia que o Giaffone iria chegar principalmenta nas retas e chegou no final do retão, mas não passou, completamos a 2 volta eu na frente e ele colado em mim, contornamos a curva 1 e 2 , ele passou no retão, ate balançou meu carro rsrsrs, andava demais aquele passat, mas o passei de volta na freada da curva do sargento, cruzava a bandeirada na frente, so perdendo minha posição no retão novamente, mas no sargento assumia novamente a liderança, isso ate a 4 volta.


Estava feliz, sabia que o Arturo ocupava a 5 posição, com esse resultado era o Campeão da Turismo Especial D3 de 1978, e assim foi ate a o meio da 5 volta volta, pois na curva do sargento quando engatei a 2 marcha e fui trocar para 3, surgiu um serio problema de não conseguir trocar mais de marcha, quer dizer, ficou travado meu cambio em 2 marcha, indo terminar a bateria em 12 lugar e o Arturo em 4 lugar.


Estando naquele momento na somatoria dos pontos do campeonato já em desvantagem com o Arturo, e ele levava a vantagem ainda de ter uma vitória a mais, trocamos o cambio de nosso carro por um novo, um novo jogo de pneus como de sempre, confesso, estava bem ansioso para a segunda bateria, sabia do potencial de meu carro em relação ao de Arturo, me lembro, estando já no grid de largada, sempre gostei de usar os 6 pontos do cinto de segurança bem apertado, mas minha respiração estava ofegante, vindo a solta-lo um pouco.


Largamos, fui com o maior cuidado na curva 1 e 2 entramos no retão passei muita gente, cheguei na curva 3, ja perto do Arturo, entramos na reta para curva ferradura, fiz a ultrapassagem em cima do Arturo, já na reta para curva do lago já tinha uma folga em relação a ele, vendo a minha frente o Giaffone, Amadeo, Edgar com o chevette. No final da reta oposta, para a curva do Sol o Amadeo solta uma fumaça quebrando seu motor, passei a administrar, já que o Arturo estava mais atraz comecei a poupar meu motor trocando marcha a 7.400 rpm, recebi sinalização de meu box para ter calma, estava colado no Edgar e Giaffone, até ultrapassei o Edgar, mas na antepenultima volta, no final do retão, quando reduziria para 3 marcha, ela não engatou, fico sem marcha, fiquei enlouquecido dentro do carro, não engatava mais marcha nenhuma, vindo a parar na pista, e pior, vendo o Arturo passando para ser Campeão da Turismo Especial Divisão 3
de 1978.

O que quebrou nos câmbios:

1-usando termo para quem entende de cambio de 4 marchas do VW, você sabe aquele macaquinho que fica no cincronizador de marchas, pulou fora quando foi engatada a 2 marcha, pois estava mal ajustado, rsrsrs.
2-Com cambio novo, notei que a rotação de 7.900 rpm de meu motor estava a mais no final do retão em 200 rpm, isso em 4 marcha minha velocidade final estava maior que na 1 bateria, erro não havia, pois meu conta girus era mecânico, mas não estava entendendo porque tinha ganho tanto em relação ao outro cambio se as engrenagens de 4 marcha eram iguais.



Conclusão, havia pouco óleo dentro do cambio, com isso, o atrito da coroa e pinhão com o óleo não havia, ta explicado a diferença de rotação no final do retão, rsrsrs.


Essa minhatura é presente do amigo Fabio Poppi da Peperslotcar feito por Tito













Grid de largada Afonso Giaffone, Amadeo Campos, Edgar Mello Filho, Lara, Arturo

Interlagos, 1 volta cuva da ferradura, Edgar , Amadeo, Lara, Yoshikuma,........... Arturo, João Franco, Mogames ( um Chevette liderou e ganhou corrida na Divisão 3)




Edigar de Melo Filho na foto abaixo, era bota em qualquer carro.



Amadeo, Arturo, Lara, no final do retão estavamos a mais de 200km, e quem freia primeiro











neste ano, foi assim, Lara, Arturo e Amadeo, nos conheciamos muito, era dificil....
um levava aqui, outro ali, o outro la, e assim foi o ano.
















Grid de largada














Marivaldo Fernandes, saudoso amigo, tambem ganhava corrida com meus motores VW 1600 na Formula Super-Ve



Interlagos, traçado velho, difícil e maravilhoso, vamos dar uma volta em um fusca D3, dos anos 1980....


Entre no carro e ponha os cintos.......








Decore Interlagos partindo da bandeira quadriculada.......



1-entramos pela
reta do box,pé em baixo, depois da placa de 50 m para curva 1 a esquerda, um leve refresco...


2-curva 1 e 2 a esquerda, pé em baixo em 5 marcha, meu carro é bem
rápido neste trecho....

3-
retão, faltando uns 300 m para a curva 3 a esquerda , estando a 8.500 rpm em 5 marcha, velocidade perto dos 210km, freando pouco depois dos 100m, reduzindo para 4 marcha, a frente tenta escapar, alivia um pouco, a traseira responde, no fundo para curva 4estamos na reta para curva da ferradura em 5 marcha a esquerda....

4-na 1 perna a direita para a curva da ferradura a esquerda, uma boa
freada e redução de marcha de 5 para 3, contorna com calma, qualquer escapada é fatal, perde tempo, reta para curva do lago em5 marcha....

5- curva do lago a
direita em 4 marcha, um mm, não gosto dela, dei duas batidas la, uma estava colado no gaúcho gente boa, Fernando Moser, estourou seu motor, jogou muito óleo, segui reto para o muro, e outra igual foi o professor e piloto Marazzi que jogou muito oleo também rsrsrs, essa curva não aceita erro, mas fazendo direito vem tempo, pois entramos na reta oposta em subida, depois da metade 5 marcha .....

6-
reta oposta, subida, em 5 marcha para uma curva muito importante a direita, a curva do sol a direita, no meu carro era pé em baixo, segura a frente, se nessesário pequeno alivio, mas com cuidado, pois a traseira vem com tudo e é fatal, sendo essa curva muito longa, tendo da metade pra frente uma perna, ainda pé em baixo, iniciou uma reta pequena em decida para curva do Sargento a esquerda, chegamos na freada em 5 marcha....

7-uma boa
freada mudança de marcha de 5 para 3, essa curva a esquerda trava freio dianteiro com muita facilidade como em outras curvas, mas nela, carro esta apoiado por igual, se travar vai fazer degrau no pneu, com isso você perdeu o balanceamento de sua roda e a vibração fica insuportável, tendo seu pneu um desgaste enorme indo a estourar logo, uma pequena reta em subida para curva do laranja...

8- curva do laranja a direita, pra mim curva comum em 4 marcha, uma
freada para curva do S,

9-curva do S, redução para 2, a frente quer escapar, provoca-se a traseira ela vem, mas controlável, apontamos para curva do pinheirinho.....

10- curva do
pinheirinho a esquerda, 2 marcha, a frente quer sair da metade pra frente põe 1 marcha e acelera, a traseira vem, o giro do motor vai a 8.700 rpm, põe 2 marcha saida, uma pequena reta em 2 marcha leve subida para a curva do bico de pato......

11- bico de pato a direita, 2 marcha a frente quer sair, apontou para a saida da curva,
põe 1 marcha, a traseira vem, capricha pois a curva do mergulho, em decida a esquerda para a curva da junção em 5 marcha.....


12-
junção, 3 marcha a esquerda, essa vem tempo, é fechada na entrada e se solta na saída, tem de haver uma combinação entre piloto suspensão e potencia de motor, a maioria dos pilotos faziam essa curva ao contraio, pois entravam forte, saindo fraco (escorregando) para a subida, rsrsrs perderam muito tempo, eu matava o carro na entrada, para sair forte para a subida em reta, em meu carro indo trocar para 4 marcha em seu final a 8.400 rpm, uma curva leve a esquerda, entramos na reta do box em 4 marcha, 5 marcha para a curva 1......






Este carro, em 10/08/1980, estabeleceu novo recorde oficial em corrida para pista de Interlagos, na 2 volta, estabelecendo a marca de 3m 24s 69 c media horaria 140 km/h, superando o anterior que pertencia a Ingo Hoffaman, 3m 25s 60c ,ainda no tempo que os carros utilizavam pneus importados e gasolina de aviação.


Ingo Hoffamann e sua imbativel Brasilia







Clique para ler















OBS um carro bem equilibrado, neste autódromo, com curva para direita, para esquerda com subida e decida, baixa e alta velocidade, ele será bom em todos autódromos brasileiros.

PATROCINADORES e AMIGOS da ÉPOCA....... INESQUECÍVEIS, SEMPRE PRESENTES NESTA HISTÓRIA DE VIDA....



publicado no blog do Jr. Lara Campos

14 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Será este Sr um "Portuga alicatáo" que conheço???

Duran disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rui Amaral Lemos Jr disse...

Quem escreveu que meu amigo é um "Portuga alicatão" não admito!!!!
Agora falando sério o Jr foi um piloto aguerrido que gostava muito do que fazia. Seus carros sempre foram muito bem feitos e procurava tirar de seus motores cada HP que conseguisse. Batalhou muito e na D3 disputou cada campeonato com garra e determinação.
Ao Jr e Orlando meu forte abraço.

Rui

Junior Lara Campos disse...

Sem palavras Orlando.... só me resta um OBRIGADO.

Rui obrigado pela defesa, vai ser advogado meu rsrs

Anômimo, sei la quem é vc, mas me conhece de fato pelo termo usado "Portuga alicatão" rsrs, mas esta certo, nunca cheguei perto da abilidade em dirigir dos 4 tops brasileiros Piquet, Emerson, Senna e Massa, mas em comparação a esses brasileiros pé de chinelo que atuam no automobilismo nacional e estrangeiro da atualidade, poderia me comparar a qualquer um deles pois acho eles älicatão também rsrsrs.

abraço a todos
Lara

Duran disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk,a historia é apenas contada por um lado, uiiii e o outro lado???????????????rsrsrsrsr adoraria saber, kkkkkkkkkkkk não fique bravo

Junior Lara Campos disse...

Duran,
jamais ficaria bravo, mas quis dizer que qualquer piloto da epoca ou da atualidade (tirando os 4 tops citados), sentesse em meu carro viraria tempo pouco pior, igual ou pouco melhor.....rsrsrs

Junior Lara Campos disse...

Ainda no mesmo assunto "portuga alicatão" vou contar uma história verdadeira; Stok-Cars Goiania acho 1981, meu carro não estava bem la, o motor não retomava, presentes meu pai e Manduca e macanicos, em um certo momento eles ja tinham mudado tudo no motor, até o trocaram e nada do tempo melhorar, acho que estava em 8 na classificação, percebi que eles acharam que o problema estava no jeito em que estava dirigindo, pensei vou resolver essa parada agora, Paulão Gomes na pole, chamei ele e falei, Paulão senta ai e manda ver, se bater tudo bem, ele deu 4 voltas sendo sua melhor volta 3 decimos mais rapido que eu, confesso que fiquei aliviado rsrsrs. Quando ele parou no nosso box, meu pai e o Manduca com cara de cú, ele reclamou a mesma coisa o motor não retoma,falei preparadores pé de chinelo rsrssr

Rui Amaral Lemos Jr disse...

É Jr como disse o Luizinho "boi preto conhece boi preto".

Abs

Rui

Anônimo disse...

Vi algumas muitas corridas deste fusca do Lara em interlagos, alem do carro ser o mais bonito andava muito.
Parabens pela lembrança essa época do automobilismo não poderia ter sido esquecida, vou no blog do Lara
abraço

Carlos Machado- Campinas-SP

Pedro Henrique "Baleiro" disse...

Orlando, não me canso de repetir.
Você, cada um dos demais bogueiros, juntamente com as pessoas que fazem os comenários, ajudam a manter viva a históra do Automobilismo Brasileiro. Meus parabéns. Um abraço.

Anônimo disse...

Otimas historias, assistia todas provas em São Paulo destes fucas, esse do Lara era uma coisa linda de ver, como berrava esses motores dele, mas no inicio destes pilotos, eles iam na av. Marginal entre a ponte do Morumbi e João Dias onde esses D3 se encontravam la para amaciar seus motores com os carros que corriam pneus lisos era um desfile mas quando batia policia, era um corre corre.

Andre São Paulo

Junior Lara Campos disse...

Estamos relembrando o "Teleco" Luiz Antonio Siqueira Veiga, guiava muito, mas neste meu relato do 2 campeonato que perdi para o RABUDO do "Espanhol" ele mesmo Arturo Fernandes, comento no final que o "saudoso Marivaldo Fernades tambem usava meus motores" tendo um recorte com resultado de uma prova de Super-ve com a vitória do Marivaldo e o amigo Teleco em 2 lugar, essa corrida foi D+++++, como vibrei com essa vitória do Marivaldo.

Junior Lara Campos disse...

Andre,
muito bem lembrado,av.marginal do rio tiete em SP entre as ponte do Morumbi e João Dias acho que 1975, era uma farra quanta gente....